Páginas

sábado, 24 de abril de 2010

“Seja como for, continuo gostando muito de você - da mesma forma - , você está quase sempre perto de mim, quase sempre presente em memórias, lembranças, estórias que conto às vezes, saudade…”

”Há certas horas, em que não precisamos de um amor, não precisamos da paixão desmedida, não queremos beijo na boca e nem corpos a se encontrar na maciez de uma cama. Há certas horas, que só queremos a mão no ombro, o abraço apertado ou mesmo o estar ali, quietinho, ao lado, sem nada dizer.”

"Não tens que me prometer a lua, bastaria se sentar comigo um momento embaixo dela."

Nenhum comentário: