Páginas

domingo, 28 de dezembro de 2014


Sou possessiva. Completamente. De certa forma, creio que essa característica tenha me ajudado a ser quem sou, mas ela é burra no que se refere ao amor. Eu quero que o outro - qualquer um, qualquer um, qualquer um mesmo, quando esse um está disfarçado em nomes próprios - tenha a noção de como seria incrível viver aquele minuto um pouco a mais comigo. Os meu desejos, os meus prazeres, os meus segredos, as minhas taras, as minhas reticências (…). Mas a minha maior burrice é não perceber que não ter esses momentos não significa que nada disso exista. E existir é o melhor que tenho a fazer, ponto. Posso estar bem comigo mesma.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

“Já amei antes. Amar é como uma droga. No começo vem a sensação de euforia, de total entrega. Depois, no dia seguinte, você quer mais. Ainda não se viciou, mas gostou da sensação, e acha que pode mante-la sob controle. Pensa na pessoa amada durante dois minutos e esquece por três horas. “Mas aos poucos, você se acostuma com aquela pessoa, e passa a depender completamente dela. Então pensa por três horas, e esquece por dois minutos. Se ela não esta perto, você experimenta as mesmas sensações que os viciados têm quando não conseguem a droga. Neste momento, assim como os viciados roubam e se humilham para conseguir o que precisam, você esta disposto a fazer qualquer coisa pelo amor.”

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

.. Bem vindo dezembro

Que seus sorrisos pesem mais do que as lágrimas. Que você tropece em milhares de sonhos prontos para serem realizados. Que seus olhos sempre encontrem motivos pra brilhar. E que Deus afaste de você as más pessoas e suas más intenções. Que nada te roube a leveza, a doçura, o querer bem. Que sua inspiração jamais acabe. E que a vida te jogue na cara mil motivos pra ser feliz.

“Que Dezembro o mês do bom velhinho, venha com bons ventos, que nos traga sorte e paz, que não nos deixe desanimados, por favor. Só por um mês, faça tudo dar certo, depois veremos o que fazer em Janeiro.”