Páginas

terça-feira, 28 de julho de 2009

Um ano depois.....


Oi Franciele, tudo bem? Espero que sim.

Queria te dizer que não foi fácil pensar nisso e que não tem sido fácil ficar sem pensar em ti.
Pensei em tudo que aconteceu, em tudo que vinha acontecendo e tudo que já tinha acontecido comigo antes. Quero te dizer que tu estará sempre no meu coração e que nunca, em nenhum momento eu pensei em te deixar triste, te magoar ou até mesmo o teu maior medo, te trair.
Só que acho que chegou em momento, um estágio do namoro que estavamos muito distantes um do outro e te falei o pq que tudo isso aconteceu. Posso estar comentendo um equivoco nisso, me arrepender daqui um tempinho ou até mesmo um tempão, mas acho que não temos mais como ficar junto. Aproveitei tudo o que tinha que aproveitar contigo, vivi momentos ótimos contigo tanto contigo aqui, qto eu ai e em nossos dias na praia que para mim nunca mais sairão da minha cabeça, pois foram coisas que marcam e marcaram para sempre.
Quero te dizer que se estou fazendo isso é pq não estou tão contente como antes. Gostaria também de te dizer que no futuro tu não cometa os mesmos erros que cometesse comigo, pois isso acaba criando barreiras entre os 2 e acaba acontecendo isso que aconteceu. Tu é uma pessoa sincera, gentil, bonita e que merece o máximo que uma pessoa pode te dar, nunca te contenta com pouco pois tu merece o MÁXIMO, tanto no amor, como na tua vida.
Espero que mesmo não estando mais presente em tua vida amorosa, ao menos sejamos amigos, e não seja que nem com outras pessoas que onde termina o amor, termina a amizade, acho que sempre além de namorados sempre temos que ser amigos, até nunca se começa namorando direto, sempre se tem uma amizade antes.
Beijos de quem sempre vai lembrar de ti com MUITO CARINHO e que espera não estar fazendo um erro na vida.


Tiago



Não sei explicar ao certo até hoje o que senti qdo vi esse e-mail...a palavra certa acho que é UM BURRACO...no chão onde eu estava pisando, faltou meu chão!!!
A um ano atrás neste dia um pedaço de mim foi embora. Vou dizer algumas palavras sobre isso e provavelmente sejam as últimas palavras sobre assunto.
Sofri... e sofri muitoo, fui infantil e besta em relação a ele. Pedi desculpas e um segunda chance para tentar corrigir as coisas. Ele não quis e hoje eu vejo que foi a melhor coisa que aconteceu,pois eu não ia mudar eu estava emcrise e precisa me achar e mudar algumas coisas em mim e no final das coisas a gente ia acabar separados novamente, e isso traria uma magoa entre nós dois e seria maior do que a que existe hoje.
Hoje vejo as coisas de um modo totalmente diferente, amadureci e vi meus erros, eu não estava legal, e na verdade faz pouco tempo que fui me dar conta disso...eu mesmo não estava sendo legal comigo mesmo. Acabei sendo o que o meu primeiro namorado foi comigo com ele.
Mudei...
Amar.. amei demais ele, sonhei e tive esperanças em tê-lo de volta, juro que por todo esse ano que passou tive essa esperança, mais hoje não tenho mais. Ele fez as escolhas dele e esta vivendo ase acho que nem lembra do que vivemos.
Mais agradeço pelos 5 meses maravilhos que vivi ao teu lado, pela oportunidade de te amar e fazer parte da tua vida, mesmo que por tão pouco tempo. Se não mostrei isso, mais eu fui muito feliz ao seu ladoo...e por mais que não monstrasse isso, eu amei ele demais, até as coisas que eu não gostava em vc eu amava. Me apaixonei por você não sei quando e nem em que momento, mas você foi o melhor presente que a vida me deu neste últimos anos. Antes de te conhecer achei que não fosse me envolver com alguém de novo como me envolvi com você.
Esses 5 meses pareceram 5 anos, sempre disse que a sensação que eu tinha era que te conhecia a anos.
Espero que você seja feliz, eu dei um ano para tentar ter você ao meu lado e hoje está acabando esse prazo, vou dar oprtunidade a outro alguém. Não que tenha outra pessoa na minha vida até esse momento (amigos colridos varios), mais vou deixar alguém gostar de mim, acho que mereço ser feliz.
Te amo ainda e acabei chorando escrevendo isso. Um dia quem sabe a gente se encontre. Você foi mais queespecial, quando te perdi, perdi um pedacinho de mim

Franciele Horwath

terça-feira, 21 de julho de 2009

Síndrome de Peter Pan

Deixa eu brincar de ser feliz
deixa eu pintar o meu nariz.



Descobri que levei 20 e poucos anos para aprender a ser criança; pra rir de pequenos 'nada' e ser feliz sem algum motivo aparente.
Levei anos pra aprender a não dar bola pra pláteia, ser eu mesma e ser sorriso bobo. Pra brincar de correr, comer e se lambusar...
É... Se eu tivesse aproveitado mais a minha infância, não viveria uma eterna Síndrome de Peter Pan.

Lápis de cor!!!




Não tenho culpa se meus dias têm nascido completamente coloridos. Simplesmente quando eu acordo decido que quero ser feliz, mas alguns ainda cismam em querer borrar minhas cores. Muito menos tenho culpa se o meu sorriso é verdade, espontânio e acontece por motivos bobos, mais especiais para mim.

Não tenho culpa se meus passos nem sempre são firmes. Eu não sou perfeita. Eu tropeço e caio de vez enquando, na verdade, caio bastante e isso não me machuca. Tenho certeza qua a cada tombo eu consigo levantar mais forte.

Meus olhos tem tido um brilho bem mudado últimamente. Eles brilham diferente e intensamente à cada dia e começo a me preocupar. Tenho medo da velocidade dessas alterações.

Na minha vida melhor concepção de 'mundo completo', não consigo entender a existencia de algumas pessoas, apesar disso não me preocupo tanto. O que eu menos consigo entender é o porque de certas atitudes. Ok. O mundo não é dos mais justos mesmo.

Ainda assim, tenho bastante lápis de cor e varias pessoas com bastante deles também. Pra quem quiser pintar um pouco mais de alegria na vida, até empresto os meus. Só, por favor, não tentem borrar os meus dias. Eles estão ótimos pintados da cor que estão!!!

terça-feira, 14 de julho de 2009

Os cinco sorrisos!!!!







Aquela garota possui cinco sorrisos diferentes. Um ela usa quando está feliz. Esse é um sorriso puro, espontâneo. Sincero.

Outro é um sorriso mais moleca, criança. A garota usa quando brinca com sua prima, quando rouba chocolate do armário da cozinha, quando faz guerrinha de travesseiro, quando pula na cama para incomodar a mãe - as quatro da tarde ainda de pijama.

Possui também um sorriso amarelo, forçado. Um sorriso ofuscado pelo brilho das lágrimas nos olhos, um sorriso falso, para tentar mostrar pro mundo que estábem, que nada lhe atinge. Esse é o seu pior sorriso, pois ela não consegue sorrí-lo como gostaria.

Tem o sorriso envergonhado, tímido. Aquele meio sorriso que vem junto com aquela vermelhidão na cara. é um sorriso manhoso e cheio de charme. Normalmente é com esse sorrisinho bobo que ela consegue cativar as pessoas.

E há também AQUELE sorriso. ÚNICO. E o mais sincero de todos. O sorriso quando ela se sente única, quando ela é ela mesma, quando ela está à viajar com as borboletas, estrelas, sol e lua. Aquele sorriso quando ela voa alto, quando ela está nas nuvens. Aquele sorriso que poucos conseguem estampar... E que ela adora.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Borboletas



Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco dese decepcionar é grande.

As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela.

Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Meu coração!!


quarta-feira, 1 de julho de 2009

Dar um tempo!!




Não conheço algo mais irritante do que dar um tempo, para quem pede e para quem recebe. O casal lembra um amontoado de papéis colados. Papéis presos. Tentar desdobrar uma carta molhada é difícil. Ela rasga nos vincos. Tentar sair de um passado sem arranhar é tão difícil quanto. Vai rasgar de qualquer jeito, porque envolve expectativa e
uma boa dose de suspense. Os pratos vão quebrar, haverá choro, dor de cotovelo, ciúme, inveja, ódio. É natural explodir. Não é possível arrumar a gravata ou pintar o rosto quando se briga. Não se fica bonito, o rosto incha com ou sem lágrimas. Dar um tempo é se reprimir, supor que se sai e se entra em uma vida com indiferença, sem levar ou deixar algo. Dar um tempo é uma invenção fácil para não sofrer. Mas dar um tempo faz sofrer pois não se diz a verdade.
Dar um tempo é igual a praguejar "desapareça da minha frente". É despejar, escorraçar, dispensar. Não há delicadeza. Aspira ao cinismo. É um jeito educado de faltar com a educação. Dar um tempo não deveria existir porque não se deu a eternidade antes. Quando se dá um tempo é que não há mais tempo para dar, já se gastou o tempo com a possibilidade de um novo romance. Só se dá o tempo para avisar que o tempo acabou. E amor não é consulta, não é terapia, para se controlar o tempo. Quem conta beijos e olha o relógio insistentemente não estava vivo para dar tempo. Deveria dar distância, tempo não. Tempo se consome, se acaba, não é mercadoria, não é corpo. Tempo se esgota, como um pássaro lambe as asas e bebe o ar que sobrou de seu vôo. Qualquer um odeia eufemismo, compaixão, piedade tola. Odeia ser enganado com sinônimos e atenuantes. Odeia ser abafado, sonegado, traído por um termo. Que seja a mais dura palavra, nunca dar um tempo. Dar um tempo é uma ilusão que não será promovida a esperança. Dar um tempo é tirar o tempo. Dar um tempo é fingido. Melhor a clareza do que os modos. Dar um tempo é covardia, para quem não tem coragem de se despedir. Dar um tempo é um tchau que não teve a convicção de um adeus. Dar um tempo não significa nada e é justamente o nada que dói.
Resumir a relação a um ato mecânico dói. Todos dão um tempo e ninguém pretende ser igual a todos nessa hora. Espera-se algo que escape do lugar-comum. Uma frase honesta, autêntica, sublime, ainda que triste. Não se pode dar um tempo, não existe mais coincidência de tempos entre os dois. Dar um tempo é roubar o tempo que foi. Convencionou-se como forma de sair da relação limpo e de banho lavado, sem sinais de violência. Ora, não há maior violência do que dar o tempo. É mandar matar e acreditar que não se sujou as mãos. É compatível em maldade com "quero continuar sendo teu amigo". O que se adia não será cumprido depois.