Páginas

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Ninguém a vê deitada em sua cama, a procura de seus pedaços perdidos. As lágrimas em seu rosto deveriam ter um motivo, do qual, ela já não sabe qual é. O problema dela é o fingimento… Ninguém nunca sabe o que acontece com aquele poço sentimentalista, que na visão de desconhecidos, é só mais uma alma sem fundidade alguma. Ninguém nunca vê sua tristeza, ela a pinta para não aparecer, mas na verdade, ela sempre está lá. Não a um dia que suas lágrimas não venham fazer companhia, ela se tornou sua amiga já… Só ela sente. Só ela vê Estava a procura de alguma pessoa para ajudá-la, mas ninguém a ouve, ninguém a entende… Cansada de ser trocada, de perder pessoas, de se afastar delas. Ela só queria algo concreto, algo que ela podia recorrer quando sentia aquela dor, mas quem? Ela não tem. Ás vezes sua cama é que a colhe, a que a abraça, a que a escuta. Seus soluços já viraram o tema musical daquele quarto… Ela precisa de algo que ela desconhece. Ela foi quebrada, mas seus pedaços estão distantes… Tão distantes.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013


E finalmente eu olhei para meu lado direito e não vi ninguém que poderia me fazer mal naquela noite. Voltei para meu lado esquerdo, no desespero que estivesse ali e notei que sempre havia um novo caminho para seguir. E sorrir. Sorri como quem espera que um sorriso cure tudo, afaste todo o mal, faça uma manhã mais feliz, uma tarde menos vazia, uma noite menos dolorosa.

E finalmente eu lacei a minha sorte com corda forte e laço frouxo, sem prender demais, para ela querer ficar aqui para sempre…

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Bem vindo Outubro


Seja bem vindo, Outubro!
Setembro me deu alegrias,
Setembro me ajudou,
Setembro foi meu amigo,
Setembro muito me ensinou.
Agora peço que você, Outubro, faça o mesmo.
Me ensine demais,
Me ajude a evitar erros,
Me mostre que sou capaz.
Quero que meu melhor amigo vire meu amor,
Que meu amor não deixe de ser melhor amigo,
Quero que ele me ame intensamente,
E que fique somente comigo.