Páginas

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Feliz Natal

Desejo a todos meus AMIGOS, um Natal repleto de Felicidades, de Amor e Paz.
Que todos nós tenhamos a consciência que o rancor, o ódio, e outros sentimentos mesquinhos a nada levam, apenas corrompem nossa alma.
Que tenhamos a Paz de Espírito para o discernimento correto de que estamos fazendo aquilo que é justo e correto para nós e nossos semelhantes.
Que tenhamos o prazer de ser útil a alguém. E que o novíssimo ano 2016, seja um ano de muitas transformações e realizações para todos, não só no campo material, mas principalmente em nossa alma, em nosso "eu" interior.
Desejo que todos tenham o que for justo, belo, sereno e louvável ao olhos do criador.
Que neste Natal os anjos desçam do céu e iluminem o seu sorriso para que ele se torne tão sincero quanto o sorriso de uma criança.
E que você transmita a paz e o amor a todos aqueles
que se aproximarem de você.
Feliz Natal !!!

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

SEJA BEM VINDO ... OUTUBRO!!


Querido Outubro... nem preciso dizer, que és bem vindo, porém que traga consigo boas vindas, energias positivas, surpresas, proteções e acima de tudo paz a todos, sem contar que esperamos que o Sr. nos SURPREENDA, desejo a todos os meus amigos, um excelente mês de outubro, carregado de bençãos e surpresas a cada um de vocês, que tudo o que setembro não nos proporcionou, que outubro seja surpreendente.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

SEJA BEM-VINDO (...)


''Que Setembro traga de volta todos os sorrisos que Agosto me roubou. Traga alegria de sorrir com brilho no olhar e paz na alma. Me aproxime de pessoas boas. E que não me deixe sofrer por favor. Que a felicidade nunca seja de menos. Afaste todo o mal que me ronda. Que Setembro seja doce e que não enjoe. Que me faça sorrir de tanta paz e que Deus me/nos abençoe."

sábado, 4 de julho de 2015

Meu quarto está cheio de bagunças e dúvidas espalhadas por todos os cantos, no armário algumas mentiras velhas e na varanda um ar de confluência, como se o tempo e o espaço traduzissem meus sentimentos. Meu estômago está revoltado, causando reviravoltas e fazendo-me estremecer diante o dia cinza que está lá fora. Parece que até o Sol acordou de mal comigo. Na inquietude de minha mente, tento me organizar. Tomar coragem para exercer minha então decisão, a dúvida sobre estar fazendo a coisa certa é o que me corrói e causa um certo constrangimento. Fico parado por alguns longos minutos, sento-me naquela antiga poltrona velha e então retiro o ultimo cigarro do bolso, saboreio como se fosse o ultimo de toda uma vida -talvez desta. Volto para minhas lembranças, coloco alguns trapos na mala, na cômoda encontro aquele meu blusão que caía tão bem no corpo dela. Meu olho brilha de amor, meu coração aperta e lágrimas escorrem pelo meu rosto, encontro até uma certa semelhança com a tempestade que escorre em minha janela e transforma o dia em melancolia e solidão. As lembranças não me deixam, em frações de segundos lembro-me da primeira vez que vestiu aquele blusão e ficou perdida dentro dele, fazendo-me rir e transbordar de tanta felicidade por termos tomado um banho de chuva em um dia claro e alegre. Aquele dia, aquela chuva, foi o que nos uniu por completo e fez todos 12 de fevereiro os mais felizes durante os próximos cinco anos. Mas cinco anos se passaram e hoje em um 06 de junho qualquer, a chuva retornou, mas não como nos dias em que ela procura abrigo no meu peito -detestava trovões. Desta vez, não haveria mais moradia no meu peito, nem carícias para esperar a tempestade sossegar. A chuva de hoje vem como uma despedida, como se os céus se revoltassem com o nosso fim e castigassem-nos com trovões e relâmpagos cada vez mais fortes, como se rompêssemos uma lei natural do universo. Não parecia certo nem para o destino, nem para mim. Mas sabia que era preciso, eu assim como minh’alma sentia necessidade de libertar-nos.
Em direção à sala, lembro-me como ela ficara linda subindo as escadas, desfilando e fazendo marra, no fundo só queria que eu a alcançasse e realizasse seus desejos proibidos. Me enlaçava em seu corpo, me envolvia em seus desejos, me arrastava para cama e me cobria de amor. Mas agora estou descendo e em instantes estarei cruzando aquela porta, abandonando nosso cais, deixando minha vida para trás. Cada lance de escada a menos, é uma dor a mais, é como se alguém chutasse meu estômago ou quebrasse cada membro do meu corpo.
Por fim, cheguei na sala e antes de deixá-la, resolvi olhar nossas fotos pela ultima vez, fiquei uma certo tempo parado ali, desejando que aquela felicidade nos envolvesse de novo, voltar ao inicio e fazer tudo diferente, talvez assim hoje eu não estivesse de partida, pois gostaria de ficar. Mas gostaria de ficar por algo que me fizesse vivo, por amor que não causasse dor. Tivemos nossa chance, fizemos tudo errado, nos perdemos. Não teve uma data prevista, tivemos tanto baques que por mais amor envolvido (amor este que jamais enfraquece), como seres humanos aptos a errar, somos incapazes de concertar. Nos amamos, mas algo dentro de nós mudou, nós cansamos de lutar. Amor sem responsabilidade e lealdade, é o pior tipo de amor. Nos acomodamos e quando percebemos, já era tarde.
Quando saio dos devaneios e volto pra realidade, escuto o barulho de chaves, alguém está abrindo a porta.
Estou em frente aquela linda mulher de cabelos negros, pele clara e olhos grandes e azuis. É a ultima vez que a vejo em nosso lar, meu coração está disparado e estou soando frio. Ela me fita com cara de cansaço, então olha para as malas e diz:
- O que são essas malas?
Demorou um tempo até eu associar suas palavras, só consegui prestar atenção em quão doce e suave é sua voz, voz que acalma(va) minha alma. Me virei para tirar a mala do caminho e então respondi:
- Desculpa, já deveria ter partido… Perdi a noção do tempo vendo o mural de fotos. - Não precisa ser assim, não pode fazer isso! Ela falava em um tom mais alto, deixando escapar lágrimas de seus olhos. Foi quando percebi que não podia ficar nem mais um minuto. -Já está tudo resolvido. - Por favor, por amor! Tirei o restinho de coragem que restava em meu peito e declarei: - EU NÃO AMO MAIS VOCÊ! Foi as palavras que mais relutaram para sair de minha boca, jamais imaginei que seria capaz de tal ato, de poder jurar diante a mulher que mais amei (e amo ainda mais a cada respirar) que o amor acabou. Eu sabia que não passava de uma grande mentira deslavada, mas sabia que era preciso declarar o fim -e declarei da forma mais dolorosa possível. Peguei a mala e fui, por Deus, eu nem sabia pra onde iria. Mas fui. Era preciso ir o quanto antes. Não queria vê-la chorar nem mais um segundo, não desejava que ela implorasse pr’eu ficar ou gritasse injúrias, eu não suportaria. Ao ouvir a porta bater, o frio invadiu minha barriga e todo meu ser soube que isto fora um adeus. Adeus meu amor, adeus parte de minha história. Adeus minha vida. Eu deixei algo pra trás, algo insubstituível e nem em mil anos preencherei essa lacuna novamente. Agora faço parte da paisagem vista daquela varanda, faço parte da liberdade. Estando livre, nunca fui tão preso. Me visto numa armadura e coragem. Porque o amor é libertar, é entregar sua amada para o mundo, sabendo que outro lhe fará feliz algum dia. É desejar com o coração partido que o seu amor seja feliz. Pois enquanto não temos coragem de ir ou só desejamos o bem se for ao nosso lado; não é amor, é ego. Precisamos estar em um nível mais alto de amor para entender que amar é também ter coragem para chegar ao fim, é assumir para o tempo o responsabilidade da cura e para o destino os próximos capítulos. Aprendi que amar não significa estar junto, mas sim querer ver a pessoa feliz, mesmo que isso custe a sua felicidade. Foi assim que a ensinei a libertar. (Com tantos pensamentos, nem me importei quando a chuva me pegou. As vezes é preciso se molhar para valorizar o Sol -quando vier).

sábado, 27 de junho de 2015

domingo, 31 de maio de 2015

BEM VINDO JUNHO


Poderia fazer uma lista de coisas que gostaria de viver este mês, mas fico por um pedido simples: se for para melhor deixa vir tudo, se for para pior podes manter assim como está. encontrei o equilíbrio entre o que quero e o ter, o meu coração está agora mais calmo.

Mas o que faz a dor? A dor quando bem vivida, percebida, acolhida, não passa de uma forte emoção. Nem toda dor é causada por alguém: dor de amor é a mais vulgar (no sentido de ser a mais comum), dor existencial é uma transcendência. Não evito minhas dores, vou até o cerne dos sentimentos, vejo-a tão vital quanto a alegria. Pois se, através deste processo também me vem a necessidade de autoinvestigação e evolução interna, por mais desnorteada que eu me veja enquanto inserida no emocional da situação, é esse desconforto que me indica o degrau acima, me tira da zona de conforto, me instiga abuscar uma nova direção. A dor bem aproveitada não deve ser temida, deve ser usada como ferramenta para o autoconhecimento, extirpação do mal-resolvido, para o crescimento. Eu não temo a dor, nem emoção alguma, se assim fosse, até a alegria me incomodaria. O que não permito é que ela me leve ao estado da prostração, da autopiedade ou de algo que não aceite regeneração. Dor transmuta-se. E o Tempo dono de todas as coisas, ensina quão provisório é o pranto e a gargalhada. Por isso não recuso nada. Que venha o que vier, como vier. Eu suporto qualquer circunstância que me lapide, que me desassossegue para que eu valorize os momentos de paz do meu coração. Vida é totalidade. Inclui tudo. Vida é vontade de Mundo.
Dor faz parte da vida e, por mais preciosa que seja, não permito que ela seja a parte mais importante.


sexta-feira, 1 de maio de 2015

“Seja muito bem vindo, MAIO…

Que esse mês nos devolva possíveis sonhos roubados nos anteriores , que nos traga positividade e força para continuarmos acreditando nos nossos sonhos, que ele nos encha de surpresas boas , que não nos falte coragem , que se tivermos momentos de dificuldades que elas sejam superadas da melhor forma possível. Que ele nos traga saúde, paz, alegria, esperança e amor muito mas muito amor!”


sexta-feira, 24 de abril de 2015

Acabei me afastando de algumas pessoas. A gente sente direitinho quem quer o nosso bem. Se eu estou feliz e você gosta de mim, por favor fique feliz também. Se os seus sonhos e planos não deram certo, por gentileza, não descarregue em mim. Também tenho sonhos e planos que não se concretizaram e nem por isso sou amarga. Nem por isso não desejo a sua felicidade. Sempre disse e repito: é fácil ser solidário quando tudo está uma merda. É fácil esticar a mão, ficar ao lado, ouvir as tragédias. Difícil mesmo é ficar feliz lá no fundo quando o outro conquista alguma coisa. Quando ele se dá bem. Quando ele está com o coração sorrindo. A gente percebe direitinho sorrisos amarelos, olhares não sinceros. Acho isso tão pequeno. Se você gosta de alguém, se é amigo de alguém é obrigação ficar feliz pela pessoa.


domingo, 12 de abril de 2015


"Eu não sou legal, não mesmo. Acho que sempre tenho razão e quando minhas previsões dão certo olho com a cara mais abominável do mundo, dou um sorriso irônico e falo o clássico eu-te-avisei. É que, em geral, eu tenho razão. Essa é a primeira – e mais importante – coisa que você precisa aprender a meu respeito. (…) Não sei receber elogios, fico sem saber o que fazer, me atrapalho eacabo trocando de assunto – quando não troco as pernas e tropeço em algum canto de mim. Sorrio para disfarçar desconfortos. Se eu não gosto de você é bem provável que você tenha medo do meu olhar. E eu posso simplesmente não gostar de você de graça. Se eu gostar de você aviso de antemão que você é uma pessoa de sorte. Eu me entrego. Quem vive comigo sabe. Quem convive comigo sente. Eu amo poucos. Mas esses poucos, pode apostar, amo muito."

sexta-feira, 3 de abril de 2015

“Preciso seguir em frente. Não foi isso que você me disse? Pois bem, estou fazendo isso. Estou indo em frente, indo para o mais longe possível de você ou de qualquer coisa que me lembre você. Já chorei mares, já sofri durante dias. Esse não amor já deu mais do que devia, na verdade afundou antes mesmo de começar. Eu estou deixando para trás tudo, tudo que me magoa, me deprime, eu estou te deixando para trás. Já passou da hora de ter novas experiências, novos relacionamentos e novos sorrisos. Essa decisão não foi nem um pouco fácil, fazem dias que eu não conseguia respirar direito, sentindo a tua maldita falta. Eu te esperei, eu mantive acessa o único pingo de esperança de um dia iríamos ficar juntos. Tudo não passou de uma ilusão. Acordei do pesadelo que estava vivendo, e hoje tudo que eu quero é ser feliz, mesmo que seja sem ninguém ao meu lado.”

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Seja Bem vindo Abril

Que abril me traga todos os sorrisos que março me roubou. 
Que venha com bons ventos que me traga sorte e amor, que não me deixe sofrer por favor. 
Que esse mês tudo certo.!




domingo, 22 de março de 2015

Gostaria de deixar os vidros fechados antes da chuva. Gostaria de dar três voltas na chave e não esquecer que estou dentro de mim. Gostaria de parecer inteligente diante de pinturas abstratas. Gostaria que ele não perdesse os amigos para ficar comigo. Gostaria de levá-lo ao cinema para depois recuperar as legendas em sua boca. Gostaria de me assustar mais seguido para procurá-lo com veemência. Gostaria de recolher as migalhas da mesa e arremessar o alvoroço das aves pela sala. Gostaria de sussurrar comida na colher de pau. Gostaria de conduzir um táxi para comentar o tempo. Gostaria de espalhar cigarras e vaga-lumes pela grama e vê-la tropeçar em minha voz. Gostaria de ter sempre a sinceridade de quem sente fome.”



domingo, 1 de março de 2015

Bem vindo Março ...


Traga as mais diversas emoções, as mais deliciosas sensações, as mais esperadas renovações. 
Traga a brisa do outono mais uma vez.
Deixe que o vento leve tudo que é velho, gasto e sem energia.
Deixe o outono leve a agitação do verão e traga a brisa da tarde com a calmaria das folhas caindo.
Que Março trague força, motivação e conquistas.
Que Março inspire nossos corações e refresque nossa alma . 
Que o ano comece de verdade no país do Carnaval. 
Que os projetos se desenvolvam e se concretizem ao longo de todo o período. 
Que Março traga a tão desejada paciência. 
Que Março seja sereno, leve e suave como o outono.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015



"Você foi embora e levou tanta coisa minha que ainda estou escrevendo a lista do que ficou. Levou a minha enorme coragem de dormir sozinha e junto a minha confiança inabalável nas pessoas.

Carregou pelas mãos os meus versos, frágeis, escrito às pressas no trabalho, na boca engoliu o chocolate que fiquei procurando para agradar um detalhe. Sugou nos braços os meu abraços apertados e carentes, no celular as mensagens poéticas.

E eu, fiquei com aquela solidão interna, onde a necessidade de ficar sozinho é maior do que querer amigos, ou um livro.

Meu coração doía fisicamente, que me chegou a faltar ar e jurei que teria um infarto.

Levou de mim a minha independência e agora não sei direito como ir até a rodoviária de ônibus, ou ir ao médico. Meu brinco, meu desenho, meus versos, meus amores, meus traumas, levou tudo e eu, fiquei.

Fiquei pequena, desprotegida, confusa e triste, porque de todas as coisas que você me tirou que ao menos tirasse todo esse amor por completo, não me deixasse com ele, sem saber o que fazer, tentando encaixar em alguma gaveta, colocando na carteira, empurrando para o armário. O que eu faço com todo esse amor? Que ainda continua sendo apenas seu?

Decepcionada, porque eu me doei muito para você e agora estou tentando reconstruir tudo novamente, desde dormir sozinha até carregar a mala na rodoviária.

Dói um bocado, as mãos, os braços, o coração, as lembranças.

E se era mentira, o que eu faço com esse amor? Digo para ele que teoricamente nascido de uma mentira ele não existe e se ele não existe eu não o sinto, mas machuca infinitamente mais do que se fosse real.


(Camila M.)

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Sabe quanto bate aquela dor de cabeça, aquele aperto no coração e você fica meio que fora do seu corpo; pensando, fica em silêncio só observando tudo acontecer em um piscar de olhos, tudo mudando em questões de segundos. E você não pode fazer nada; não pode mudar nada.


domingo, 1 de fevereiro de 2015

Fevereiro seu lindo, seja bem vindo.



"Mude. Mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade. Tente o novo todo dia, o novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor, a nova vida. Tente. (...)
Mude. Lembre-se que a vida é uma só. (...)
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo. E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino. Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez. Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas.
Mas não é isso o que importa. O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda!" 

terça-feira, 27 de janeiro de 2015


"Você foi embora e levou tanta coisa minha que ainda estou escrevendo a lista do que ficou. Levou a minha enorme coragem de dormir sozinha e junto a minha confiança inabalável nas pessoas.

Carregou pelas mãos os meus versos, frágeis, escrito às pressas no trabalho, na boca engoliu o chocolate que fiquei procurando para agradar um detalhe. Sugou nos braços os meu abraços apertados e carentes, no celular as mensagens poéticas.

E eu, fiquei com aquela solidão interna, onde a necessidade de ficar sozinho é maior do que querer amigos, ou um livro.

Meu coração doía fisicamente, que me chegou a faltar ar e jurei que teria um infarto.

Levou de mim a minha independência e agora não sei direito como ir até a rodoviária de ônibus, ou ir ao médico. Meu brinco, meu desenho, meus versos, meus amores, meus traumas, levou tudo e eu, fiquei.

Fiquei pequena, desprotegida, confusa e triste, porque de todas as coisas que você me tirou que ao menos tirasse todo esse amor por completo, não me deixasse com ele, sem saber o que fazer, tentando encaixar em alguma gaveta, colocando na carteira, empurrando para o armário. O que eu faço com todo esse amor? Que ainda continua sendo apenas seu?

Decepcionada, porque eu me doei muito para você e agora estou tentando reconstruir tudo novamente, desde dormir sozinha até carregar a mala na rodoviária.

Dói um bocado, as mãos, os braços, o coração, as lembranças.

E se era mentira, o que eu faço com esse amor? Digo para ele que teoricamente nascido de uma mentira ele não existe e se ele não existe eu não o sinto, mas machuca infinitamente mais do que se fosse real.

sábado, 24 de janeiro de 2015

“Chorar é lindo, pois cada lágrima na face são palavras ditas de um sentimento calado. Pessoas que mais amamos, são as que mais magoamos porque queremos que sejam perfeitas, e esquecemos que são apenas seres humanos. Nunca diga que esqueceu alguma pessoa, ou um amor. Diga apenas que consegue falar neles sem chorar, porque qualquer amor por mais simples que seja, será sempre inesquecível.”



"Estranhamente, involuntariamente, rapidamente tudo aconteceu e eu nem vi, percebi ou ouvi ontem tava tudo normal era um dia como outro qualquer, hoje tudo vira de cabeça para baixo. A única forma de se livrar de tudo ruim que acontece é virando uma guerreira, o que é mais difícil do que tirar 10 em Matemática. Há algum tempo atras eu via a vida como um parque de diversões, mas agora eu vejo que ela tá mais para montanha-russa a cada subida, uma descida, a cada felicidade uma recaída, me sinto presa nesse carrinho, me sinto incontrolável como que se para a minha segurança eu tivesse que ficar ali nesse “carrinho” sem ter como fugir ou me esconder; me sinto nas alturas quando algo bom acontece mas como sempre, vem uma descida que acaba com tudo. O intuito da vida ninguém consegue descobrir o máximo que sabemos é que devemos ser fortes, pois se entramos nessa enorme monta-russa é porque sabíamos de tudo que iriamos enfrentar, dos medos que iriamos sentir de tudo de ruim que poderia acontecer, mas mesmo assim resolvemos arriscar, resolvemos enfrentar nosso medo e terminar com uma sensação de vitória. Olhando bem à fundo podemos perceber que dentro dessa montanha-russa de decepções sempre há algo bom, um pedaço de descano, em que você se sente seguro. Mesmo com tudo o que aprendi até agora da vida, sinto que nunca será o suficiente, sempre irei chorar, sofrer e rir, sempre irei brincar, cantar e cair. Mas de uma coisa eu tenho certeza, essa montanha-russa foi projetada para ser usada, para que possamos aprender com ela e nunca desistir de tentar melhorar a cada dia, para que quando o carrinho parar você olhar para traz e dizer “Eu consegui”."

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Assim espero :)

"Ô, menina, não desiste não. Você vai fazer sua história, vai sim. Você vai conhecer o cara que vai entender cada detalhe teu e vai te fazer se pegar sorrindo mesmo sem saber. Vai conhecer aquele cara que faz careta pro espelho quando escovam os dentes juntos, que canta a música de vocês quando toma banho, que te dá um beijo na testa quando vai trabalhar e que te busca na faculdade. Vai conhecer aquele cara que vai parar no meio da chuva, fechar o guarda-chuva e te beijar, que vai chegar com você nos braços em casa, rindo igual um idiota e que é um desastre na cozinha. Aquele cara que veste teus sutiãs e fica fazendo gracinha, que discute contigo e não vai lá falar nem ferrando. Vai conhecer aquele cara que te descabela, que tira teu fôlego e te deixa bamba. Que fica te fazendo ciúmes só porque você fica linda quando brava. Aquele cara que gosta do jeito que você fala, do jeito que anda e do jeito que faz as coisas. Aquele cara na medida certa. Aquele Cara, com c maiúsculo mesmo. Ah, mas você também vai conhecer aquele cara que não te dá a mínima, aquele cara que te deu um fora, aquele cara que te traiu. Aquele cara que era carinhoso e depois te trocou, aquele outro sério e chato, aquele romântico e grudento. Aquele cara que as vezes te faz rir, mas quando faz chorar é pra uma noite inteira. Aquele cara que você sempre achou que ia dar certo, mas não deu. E todos esses caras vão servir só pra te ensinar e pra te ajudar a terminar sua história. Afinal, as coisas mais bonitas são as mais tristes, e as pessoas mais bonitas são as felizes. E nessa história — na sua história —, é você quem decide se termina triste, ou linda. Porque você é incrível, menina. Você é incrível."