Páginas

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

"Tenho andado distraído, impaciente e indeciso. E ainda estou confuso, só que agora é diferente. Sou tão tranquilo e tão contente. Quantas chances desperdicei, quando o que eu mais queria era provar para todo o mundo que eu não precisava provar nada para ninguém? Me fiz em mil pedaços para você juntar, e queria sempre achar explicação pro que eu sentia. Como um anjo caído, fiz questão de esquecer que mentir para si mesmo, é sempre a pior mentira. Mas não sou mais tão criança a ponto de saber tudo, já não me preocupo se eu não sei por que. Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê. E eu sei que você sabe, quase sem querer, que eu vejo o mesmo que você. Tão correto e tão bonito, o infinito é realmente um dos deuses mais lindos. Sei que, às vezes, uso palavras repetidas, mas quais são as palavras que nunca são ditas? Me disseram que você estava chorando, e foi então que eu percebi como lhe quero tanto. Já não me preocupo se eu não sei por quê. Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê. E eu sei que você sabe, quase sem querer, que eu quero o mesmo que você."

Nenhum comentário: