Páginas

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Ninguém a vê deitada em sua cama, a procura de seus pedaços perdidos. As lágrimas em seu rosto deveriam ter um motivo, do qual, ela já não sabe qual é. O problema dela é o fingimento… Ninguém nunca sabe o que acontece com aquele poço sentimentalista, que na visão de desconhecidos, é só mais uma alma sem fundidade alguma. Ninguém nunca vê sua tristeza, ela a pinta para não aparecer, mas na verdade, ela sempre está lá. Não a um dia que suas lágrimas não venham fazer companhia, ela se tornou sua amiga já… Só ela sente. Só ela vê Estava a procura de alguma pessoa para ajudá-la, mas ninguém a ouve, ninguém a entende… Cansada de ser trocada, de perder pessoas, de se afastar delas. Ela só queria algo concreto, algo que ela podia recorrer quando sentia aquela dor, mas quem? Ela não tem. Ás vezes sua cama é que a colhe, a que a abraça, a que a escuta. Seus soluços já viraram o tema musical daquele quarto… Ela precisa de algo que ela desconhece. Ela foi quebrada, mas seus pedaços estão distantes… Tão distantes.

Nenhum comentário: