Páginas

segunda-feira, 21 de maio de 2012


“Quando penso na gente, não consigo pensar na hipótese de não sorrir. Lembro dos momentos que passamos juntos, das risadas escandalosas em plena madrugada, das brigas por ciúmes, dos meu ataques de euforia, do seu jeito empolgado de contar sobre o seu dia, da maneira que os seus braços se encaixavam perfeitamente em volta de mim, em como minhas mãos se encaixavam sob seu rosto, o quanto era bom te olhar nos olhos e ver aquele brilho tão intenso, lembro-me do quanto era bom sentir aquele frio na barriga quando sussurravas em meu ouvido e quando mordia minha orelha, ou beijava meu pescoço. Lembro de como a minha vida se tornou melhor e mais interessante depois que entrastes nela, e por isso sorrio.” 


Nenhum comentário: