Páginas

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012


Eu acho que poderíamos ter dado certo. Apesar das nossas diferenças, manias e exageros, nos dávamos bem. De uma forma ou de outra nos amávamos. Mas me disseram que só o amor nem sempre é suficiente — eu sei que não. Mas além de amantes, éramos amigos. Dizíamos que éramos amigos acima de tudo, e assim seria até o fim de nossas vidas. Mas não foi bem assim. Não soubemos lidar com a situação, não soubemos ser amigos e amantes ao mesmo tempo. Misturamos as coisas e nos machucamos duas vezes mais. Sabe, tudo poderia ter sido diferente. Poderíamos estar juntos e felizes. Nosso amor poderia ter superado as diferenças. Parece que não era pra ser, que nosso destino não era esse. Às vezes eu chego a pensar que foi erro nosso envolvimento. Sei lá, acho que se tivéssemos parado no primeiro beijo, nada disso estaria acontecendo. Não haveria corações partidos e nem mágoas. Mas nós fomos precipitados, acabamos com nossa amizade, com o carinho que sentíamos um pelo outro, com o amor que tínhamos, acabamos com tudo. Pra ser sincera, não espero de você mais que educação — e não espere mais que isso de mim. A ferida ainda não está cicatrizada. Ainda está aberta, sangrando, doendo. Mas eu acho que é melhor assim, você pra lá e eu pra cá. Podemos fingir que não nos conhecemos, que nunca houve nada entre nós. Pelo menos até essa ferida cicatrizar ou melhorar um pouco. Enfim, até que eu esteja pronta para olhar em seus olhos novamente. Confesso, eu me apaixonei. […]

Nenhum comentário: