Páginas

segunda-feira, 15 de março de 2010

...

“Sei que apesar de não estar isenta de qualquer tipo de sofrimento, tenho aprendido que perder não é o ponto final. Tudo depende da maneira de encarar o monstro. Já pensou que a sua perda pode ser o começo de um outro ciclo, de uma vida nova? É nessas horas que somos obrigados a deixar o passado onde ele realmente deve ficar: lá atrás. Sem isso, talvez não tivéssemos a vontade de procurar uma vida melhor, companhias mais agradáveis…Perder faz a gente se transformar e amadurecer. Óbvio que a tristeza vem junto, como se fosse uma pedrinha dentro da sua bota. Mas ela dura o quanto você quiser e é aí que mora a diferença entre as pessoas.”

Nenhum comentário: