Páginas

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013


“Eu me sufoco sozinha algumas vezes, mas acho que tudo isso é porque eu sinto muito sua falta. É, vai ver é isso mesmo. Eu sinto falta de passar metade da madrugada esperando o telefone tocar ou ouvindo sua voz até pegar no sono. E de ficar horas e horas conversando com você. Sinto falta de quando você não me deixava dormir ou de quando pegava no meu pé por eu comer o tempo todo, ou não comer. Sinto falta de conversar com você o dia inteiro e ainda sim sentir saudade. Sinto falta de ser tão sua. Sinto falta do seu ciúme, de todas as vezes que você me chamava de “minha”. Eu sinto falta de quando o telefone tocava durante a tarde e era você. Sinto falta de pegar no seu pé,de te falar qualquer coisa sem sentido só pra passar meu tempo. Eu sinto falta de não querer mais ninguém, de não precisar mais de ninguém. Eu sinto falta de como você me fazia ser melhor. Eu sinto falta do cheiro que eu sentia sem ao menos te tocar, sinto falta de ficar sorrindo sozinha com as coisas idiotas que você dizia; Sinto falta de fazer as brincadeiras mais bobas do mundo com a sua cara e depois pedir pra beijar sua boca… Eu sinto falta de acordar de manhã com você me dizendo bom dia e me pedindo pra ficar mais um pouco. Eu sinto falta das suas formas insuportáveis de me irritar e como você sempre conseguia me tirar do sério, de quando eu podia ser completamente eu só por estar com você. Eu sinto falta de não ter que fingir nada, de não ter medo de dizer as coisas… Sinto falta de como você me entendia tão bem mesmo que eu não dissesse uma só palavra. Sinto falta de brigar e depois ter aquelas reconciliações que faziam meu coração acelerar. Sinto falta de dizer que vou lamber sua boca e de quando suas palavras me faziam te xingar; e de discutir sobre a televisão ou sobre filhos. Sinto falta daquelas coisas idiotas que você fazia ter tanto sentido. Eu sinto falta de sentir você bem perto, só por ouvir sua voz do outro lado do telefone; eu sinto falta de quando você era tão você que o resto do mundo desaparecia, de quando a sua presença era maior que a ausência e de quando eu não tinha medo de nada enquanto ouvia sua voz. Eu sinto falta de chamar seu nome durante a madrugada e te ouvir respirar fundo e sinto falta, principalmente, de quando aquela nossa música tocava e meu coração batia mais rápido. De quando minha mão suava e eu sabia que era você. Eu sinto falta de quando eu podia chorar sem ter medo de estar completamente sozinha, ou sem chão, sem fé. Eu sinto falta de mim, do que eu era quando estava com você. Eu sinto falta até de me sentir maior e menos complicada, ou complicada demais, mas de uma forma que você sempre desvendava tão bem. Eu sinto falta, droga! Eu sinto muita falta. Eu sinto falta de fazer qualquer coisa idiota e poder correr pros seus braços ou tentar fugir deles, eu sinto falta de tudo. De tudo o que eu era, de tudo o que eu queria ser. Eu sinto falta de me sentir a pessoa mais forte do mundo, de não cair, recair, ter medo. Eu sinto… sinto… Tudo. Ou nada. Às vezes é um vazio enorme e outras vezes eu sei exatamente o que preenche isso tudo. Eu só sinto falta, muita falta. Eu sinto falta da sua voz de sono, do seu orgulho, do seu jeito de me mimar ou tentar não me fazer sentir a pior pessoa do mundo.Eu sinto falta de não me sentir a pior pessoa do mundo o tempo inteiro. Eu sinto falta de tudo. De mim, de você, de nós.

Nenhum comentário: